Vida de Oração: Existe um segredo?



Você já se perguntou se existe um segredo para ter uma vida de oração consistente? Mas afinal o que grandes homens de oração têm que conseguem sustentar por anos uma vida de oração fiel e sólida? Por que Maria escolheu a boa parte de ficar aos pés de Jesus e Marta estava ansiosa? (Lc 10: 38-42)


Não tenho intenção de esgotar esse assunto, porém duas coisas tenho percebido em pessoas que se destacam por sua vida de oração seja dentro do movimento de oração, sejam aquelas senhoras engajadas da intercessão que toda igreja tem. Elas têm: grande consciência de quem Deus é, e grande consciência da sua fraqueza, finitude e incapacidade.


Quem é o Deus que convida a conversar


Por que achamos oração algo difícil? Certamente porque não O conhecemos como deveríamos.


Realmente acredito muito que nos falta oração porque nos falta consciência de quem é o Deus que nos convida para relacionamento. Ah se pudéssemos mensurar quem é Ele! Certamente não ficaríamos olhando para o relógio vendo quanto tempo se passou desde que começamos a orar.


Assim, o entendimento de Quem nos convida a conversar nos levaria ao sentimento do privilégio que temos manter diálogo com o Criador, Sustentador e Governador de todo o Universo. Imagine só se alguém que você admira muito, seja uma autoridade, um líder, um personagem te convidasse para um café, como você se sentiria e quão leve e empolgante seria ir para esse encontro.


Enfim o que quero dizer com tudo isso é: conheça o seu Deus! Definitivamente a leitura da bíblia não é uma opção para o cristão. É um imperativo, inegociável. Estude, faça perguntas, tenha curiosidade sobre os aspectos de Deus. Transforme isso em oração. Peça que o Espírito Santo, que revela Jesus (Ef 1:17), aumente em você a consciência sobre atributos de Deus. Ele está interessado e disposto a se revelar.


Quanto mais você conhecê-lo, perceberá que ainda não conhece o suficiente. Logo, desejará conhecer mais e consequentemente orar mais.


Quando surgir um problema Ele que é Todo-Poderoso e Onisciente será sua primeira opção de socorro. E quando as coisas estiverem dando certo será Ele quem você terá para dar graças.


O Senhor te dará prazer nesse lugar de conhecê-lo (Is 56:7). O lugar de oração será seu lugar preferido por saber quem é o seu Pai que te espera em secreto. (Mt 6:6)


Quem é o homem convidado a orar


A primeira bem-aventurança que Jesus apresenta no sermão do monte é a pobreza de espírito. Que nada mais é que o conhecimento da sua incapacidade de produzir vida para si. Consciência da sua fraqueza, finitude e pequenez.


Então, quando conscientes de nossa incapacidade e conhecendo o poder do Senhor sobre coisas das quais somos fracos vamos ter o lugar de oração como um lugar seguro, de refúgio. (2 Co 12:8)


De fato oração com sinceridade envolve humildade. E humilde é quem conhece seu lugar, sua natureza. Também conhece seu poder, capacidade e sua incapacidade. Logo, não orar é o grito silencioso da nossa independência. Como também da nossa presunção de achar que podemos sem Deus.


Nós temos mazelas, áreas de fraqueza, sofremos de várias formas (2 Co 4:7-9), Paulo chama isso de ser vaso de barro, mas que carrega o tesouro da revelação do conhecimento de Deus.


Sendo assim, não tema suas mazelas elas te revelam sua finitude e necessidade de um salvador. O conhecimento sincero de sua necessidade um salvador e o entendimento de quem poderia salvar sempre moveram encontros poderosos na Bíblia.


Seja paciente

De antemão te sugiro, seja paciente. Jesus não está apressado para que você cresça de quinze minutos diários de oração para quatro horas de um dia pra o outro. Ele quer construir algo consistente. Então tenha a paciência de construir a cada dia. É relacionamento, não obrigação religiosa. Conheça-o e você o amará e desejará orar. Esteja autoconsciente e você verá que precisa orar.


FONTE: FHOP - Base Missionária

Siga-nos:

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon