Orçamento pessoal e familiar: 5 passos para fazer as melhores escolhas


Para criar um bom orçamento pessoal e familiar, é importante seguir alguns passos que vão garantir o sucesso de ambos, trabalhando com os pontos fortes de cada um. Saiba mais sobre o assunto!


A cada dia que passa, temos certeza da importância de organizar as finanças pessoais e manter um bom orçamento pessoal e familiar. Em julho de 2020, 67% das famílias brasileiras estavam endividadas. O número representa o maior patamar em 10 anos de pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).


É difícil elencar o fator principal que justifique esse número que só cresce, mas um deles, definitivamente, é a falta dessa ferramenta aplicada na rotina. Quando temos uma visão estratégica das nossas finanças e somos capazes de encontrar as melhores formas de como planejar e fazer o controle financeiro, conquistamos a tão sonhada saúde financeira.


Por isso, neste conteúdo, elencamos alguns passos que poderão te ajudar a criar um orçamento pessoal e familiar de forma ideal.


Diferença entre orçamento pessoal e familiar


Primeiramente, vamos aos conceitos básicos. Para saber fazer os dois orçamentos, você precisa entender, exatamente, o que será contemplado em cada um deles. No caso do orçamento pessoal, estamos falando apenas de você. Nesse sentido, ele envolverá aqueles gastos que você não compartilha com mais ninguém da família.


Podem ser gastos pessoais:

  • Faculdade;

  • Academia;

  • Algum financiamento;

  • Lazer;

  • Roupas, sapatos, bens pessoais.

  • Agora, sobre o orçamento familiar, o nome já adianta o conceito: se você mora com outras pessoas que contribuem financeiramente para a casa, terá o orçamento familiar na junção desse valor.

Como exemplos, temos:

  • Luz;

  • Água;

  • Aluguel;

  • Plano de saúde;

  • Compras do mês;

  • Colégio dos filhos.

É muito importante saber separar as finanças coletivas das finanças pessoais. Assim, você terá mais dificuldade de perder o controle, seja para um lado ou para o outro.


Benefícios do orçamento pessoal e familiar


O conceito de orçamento pessoal e familiar é muito importante para melhorar a saúde financeira de uma pessoa, conforme já apontamos.


Agora, de forma geral, vamos destacar os principais benefícios práticos que são capazes de trazer um “respiro” tão importante no nosso dia a dia:

  • Compreender a sua situação financeira a fundo;

  • Saber quais gastos são nocivos para as suas finanças, tendo tempo e estratégias de acabar com eles;

  • Criar um ótimo senso de priorização do que deve ser gasto no momento e do que pode esperar;

  • Entender seus hábitos de consumo e melhorar características negativas, como as compras por impulso;

  • Estar preparado para possíveis imprevistos;

  • Se livrar das dívidas e juros abusivos de diversos serviços.


5 passos para criar um orçamento pessoal e familiar


Vamos, então, ao ponto principal deste conteúdo!


Depois de saber diferenciar o orçamento pessoal e familiar, além de conhecer seus principais benefícios, chegou a hora de encontrar 5 passos muito importantes para que eles sejam feitos de forma ideal.


1. Não complique as coisas


Seja você alguém mais experiente ou iniciante na área, simplifique. Em momentos de empolgação e início de um projeto novo, sempre existe aquele desejo de “abraçar o mundo”, mas é preciso tomar cuidado. O orçamento é algo que se tornará parte da sua rotina, nos altos e baixos. Por isso, quanto mais complicado ele for, mais será difícil cumpri-lo no longo prazo.


Por isso, inclua aquelas categorias mais importantes na lista e tente não detalhar demais. Elas podem ser:

  • Moradia;

  • Saúde;

  • Educação;

  • Lazer;

  • Alimentação.

2. Mantenha o diálogo constante


Se você mora com outras pessoas que serão impactadas com o seu dinheiro (e vice-versa), o diálogo é de extrema importância. Até mesmo naqueles orçamentos pessoais!


Entenda as prioridades do outro, saiba se posicionar quando for necessário e aprenda que, às vezes, é preciso “abrir mão” de alguns desejos próprios visando o sucesso da família. E, com certeza, o contrário também ocorrerá. Mas isso só será alinhado com muito diálogo e sinceridade. Quando unimos o autoconhecimento e prioridades pessoais junto com o que buscamos enquanto um núcleo familiar, somos capazes de conquistar tudo aquilo o que desejamos de forma equilibrada e coletiva. Além disso, a falta de conversa pode ser nociva, incentivar dívidas, descontrole financeiro e escolhas muito ruins. Por isso, trabalhe o coletivo!


3. Defina seus objetivos


Onde você quer chegar com esse orçamento? Todos temos algum objetivo dentro de nós e, quando sabemos defini-lo, seremos capazes de nos motivar ainda mais, já que entendemos exatamente o motivo de tanto esforço ser depositado.


Além dos objetivos, você deve ter em mente que o ideal é separar os pessoais dos familiares, afinal são dois orçamentos diferentes. Pense, então, no seu propósito! Você deseja se aposentar no futuro, não é? Além disso, gostaria de fazer uma viagem com a família? Investir em mais estudos? Oferecer a melhor educação para os filhos?


Quando traçamos objetivos relacionados ao nosso dinheiro, além de ter uma motivação a mais, faremos escolhas estratégicas na hora de priorizar gastos.


4. Crie metas para esses objetivos


O desenvolvimento de metas é importante em qualquer época do ano, não apenas na famosa “virada”. Quando traçamos pequenas metas no dia a dia, nos tornamos capazes de atingir o objetivo daquele orçamento de forma muito mais fácil.


Afinal, você saberá exatamente o quanto está avançando em relação ao objetivo inicial, além de descobrir possíveis empecilhos de maneira antecipada. Essa referência é fundamental para qualquer pessoa que queira manter um orçamento pessoal e familiar.


Ao criar a sua meta, porém, saiba que é importante seguir alguns passos específicos. Elencamos os principais:

  • Seja o mais específico possível;

  • Pense em metas realistas;

  • Defina os meios para alcançá-las;

  • Estabeleça metas para diferentes áreas da vida;

  • Faça um acompanhamento periódico.


5. Mantenha um acompanhamento periódico


Depois de traçar o seu orçamento, conforme já falamos, deve saber que ele vai se tornar parte da sua rotina. Por isso, mantenha o hábito de acompanhá-lo sempre que possível. Definir periodicidades é interessante: você pode fazer breves análises semanais ou quinzenais, além de um estudo mais aprofundado mensalmente.


Além disso, acompanhar o seu planejamento financeiro é primordial para manter o balanço financeiro pessoal e familiar sempre positivo. (Através de aplicativos ou planilhas)


Conclusão


Sabemos que, ao inserir algo novo na rotina, levamos um tempo até nos acostumarmos e desempenharmos a atividade de maneira mais intuitiva possível. Para isso, sempre que possível, podemos contar com ferramentas que facilitem esse processo. Quando você pensar no seu dia a dia, poderá imaginar várias pequenas coisas que já se tornaram suas “melhores amigas”.


Uma simples lista de supermercado, por exemplo, é um meio de tornar as compras mais eficientes. O mesmo pode acontecer com seu orçamento, só que de forma muito mais prática, intuitiva e informatizada.


Temos como objetivo simplificar o controle das suas finanças. Então, aproveite a oportunidade para conhecer a nossa plataforma! Esperamos te ajudar a aplicar, de forma prática, os 5 passos para criar um orçamento pessoal e familiar!



FONTE: Mobills

Procurar por Tags
Em Destaque
Leitura Recomendada

Siga-nos:

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon