Dez princípios essenciais para elaborar o luto



No mês de abril tivemos uma capacitação sobre Luto - Como acompanhar aqueles que sofrem. Temos vivido dias de muitas perdas e precisamos desenvolver habilidades para elaborar o luto de forma saudável, como também ajudar outros a fazê-lo.


Nesse artigo estão os dez princípios essenciais para elaborar o luto e esse material foi desenvolvido pelo missionário e psicólogo do CIM Brasil - AMTB, Bill Bacheller.


Acompanhe a leitura e acesse o PowerPoint Completo no final do texto.


1. Supere (o máximo possível) a ignorância e o medo em relação à sua morte


“Ao aconselhar outros em tempos de perda, uma das primeiras coisas que aprendi foi que, em tempos de crise, a fé religiosa não provê consolo automático. A crença em Deus e na vida depois da morte não se torna espontaneamente consoladora nem existencialmente fortalecedora. Apesar do reconhecimento racional e consciente de que um dia eu morreria, a dura realidade de um diagnóstico fatal provocou em mim uma negação psicológica incrivelmente forte da minha mortalidade. Em vez de agir

segundo o conselho de Dylan Thomas – ‘zanga contra o morrer da luz’ –, percebi que pensava: ‘O quê? Não! Não posso morrer! Isso acontece com os outros, não comigo!’. Quando disse essas palavras ultrajantes em voz alta, percebi que essa ilusão era o princípio operacional atual do meu coração” (Timothy Keller, em Growing my faith in the face of death - Aumentando minha fé face à morte).


2. Saiba que a pandemia tem intensificado o sentimento geral de luto


“Em tempos de pandemia, o sentimento de muitos é de luto. A perda não se limita apenas à ausência física de um querido. As incertezas do futuro, as separações, as perdas econômicas e de atividades significativas, como as relacionadas ao trabalho, os danos à saúde e a suspensão ou o adiamento de eventos, cerimônias e celebrações importantes também podem ocasionar a vivência de um luto atual ou antecipado” (Morillas, Abner. Luto interditado e seus desdobramentos).


3. Consolador(a), cuide-se na pandemia e no luto


Mantenha sua vida psíquica e física por meio de encontros presenciais com o Renovador eterno, presencial e social. Cante, chore, ria e reclame na presença d’Ele. Seja presencial e social na presença de Deus!


Mantenha sua vida psíquica e física por meio de encontros presenciais com sua família e um número limitado de colegas de ministério. Cante, chore, ria, reclame, brinque e jogue jogos de tabuleiro. Quando possível, fuja de monitores. Vá para a natureza e atente para a vida dos animais, até dos insetos ao seu redor. Seja presencial e social na presença de outros seres humanos!


4. Ajude o indivíduo a entrar em contato com suas emoções – dor, raiva, amargura, injustiça, tristeza e outras – e a expressá-

las (negação/choque inicial)


Encoraje e estimule o enlutado a conversar sobre seus medos, suas ansiedades, sua morte e a morte de seus queridos. Encoraje-o a chorar, cantar, ouvir música, pintar e escrever poesia.


Não tenha medo de chorar com ele. Empatia é o ingrediente mais importante para levar o enlutado a expressar perda, dor, tristeza e raiva. N.B.: “Em muitos casos de luto cristão, o triunfalismo não permite ao enlutado chorar e sentir dor” (esposa de pastor que perdeu um ente querido recentemente). Não há empatia suficiente para “entrar” e sentir a dor do enlutado.


5. Cinco perguntas etnográficas para entrar no mundo do enlutado (Percepção da perda)


a) Como estão as coisas com sua família e seus amigos?

b) Como você está se sentindo?

c) Você pode falar sobre seu ente querido?

d) Você passou por outras situações difíceis recentemente?

e) O que posso fazer para ajudar?


6. Normalmente, o cuidador inicia o luto antes do ente querido morrer (particularmente, no caso de doença terminal)


Luto Anticipatório: Precisamos incluir o cuidador ou a cuidadora na conversa sobre luto antes da morte do ente querido, particularmente, se for um parente emocionalmente próximo do doente. Esse princípio nos ajuda a entender e a aceitar uma reação menos lacrimosa por parte dele quando o ente querido de fato morre.


7. Aprenda os três princípios dos amigos de Jó


a) O silêncio, combinado com a presença, normalmente resulta num sentimento dentro do enlutado de abraços de consolação e do carinho de Deus.


b) Não tenha medo do silêncio nem de não ter todas as respostas do porquê do sofrimento e da morte do enlutado.


c) Não vire um professor de Teologia, corrigindo os supostos ou reais pecados do enlutado.


8. Mantenha um pé na Terra e outro no céu


a) Leia um bom livro sobre o céu. Um dos melhores é Heaven, de Randy Elkorn. De preferência, leia-o com o doente terminal. Tenho lido esse livro com a Karina, que disse: “Como irei para céu antes de você, quero aprender mais sobre onde morarei”.


b) Vá à festa de aniversário de um jovem. Invista tempo, criando algo novo – dê uma nova vida a um projeto, uma música, uma pintura, uma poesia ou uma construção.


9. Descubra se o enlutado está em luto saudável ou patológico (melancolia ou luto complicado – resgate ou saída para vida)


“Quando essas fases são suprimidas por um luto interditado, não vivenciado, o indivíduo pode entrar no que chamamos de luto complicado, que se caracteriza por uma desorganização prolongada que impossibilita a retomada de atividades com qualidade e a aceitação da perda por profunda tristeza e, muitas vezes, disfuncionalidades que o impedem de gerir a vida como antes...É como se ele ficasse congelado naquele estado, não apresentando melhora no decorrer do tempo. A principal característica de um luto complicado é sua duração e intensidade” (Morillas, Abner. Luto interditado e seus desdobramentos).


10. Ler livros e fazer entrevistas sobre o conteúdo e o processo de luto e sofrimento com pessoas experientes


Veja as indicações no PDF.


Leia o PDF completo aqui!

Procurar por Tags
Em Destaque
Leitura Recomendada

Siga-nos:

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon