Saúde e exames preventivos


“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” Ec 3:1

A obra missionária é apaixonante. Seguimos nos doando de maneira completa, impulsionados por uma vontade extraordinária. Rompemos barreiras. Mas, algumas vezes, numa necessidade ou ansiedade humana de fazer mais e mais, ultrapassamos limites que não deveríamos. Deixamos de obedecer ao tempo do nosso corpo. De um corpo magnificamente criado por Deus.


Seguimos ainda mais nessa trajetória. Sem nos cuidarmos, sem nos pouparmos. Não há momentos para repousar ou para comer ou para relaxar... E atingimos assim o esgotamento. O limite imposto pelo próprio corpo. Algumas vezes, chegamos ao colapso de nossa saúde e consequentemente, a paralização do nosso trabalho.


Deus, como um pai onisciente, nos mostra um exemplo de padecimento em sua palavra. Em 1 Reis 19: 1-8 vemos Elias após uma gigantesca batalha e ainda sofrendo grande perseguição. Ele chega a esse ponto de esgotamento. A palavra de Deus nos ajuda mostrando não apenas homens fortes e perfeitos. Mostra também uma mente com dificuldades. Falhas que podem nos ensinar. Muitos líderes têm enfrentado dificuldades enormes e até mesmo o esgotamento. O cargo que ocupam leva a uma postura de trabalho ininterrupto. Mesmo com sofrimento, mesmo com dores, mesmo com doença ou luto, o líder segue em frente. As biografias mostram muitos líderes magníficos, como Spurgeon, por exemplo, que pessoalmente travava batalhas igualmente duras em sua saúde, especificamente em sua mente, sempre seguindo adiante. Para essas pessoas falta saúde.


Importante entender saúde através da definição da Organização Mundial de Saúde (OMS):


Saúde é um estado completo de bem-estar físico, mental e social do indivíduo e não apenas a ausência de enfermidades.


Para muitos líderes e missionários, de várias formas, falta saúde.


E assim como nas pregações sobre o pecado, não devemos desprezar o início desse processo. Muitas doenças possuem início imediato. Seja por alterações genéticas ou tramas e acidentes. Mas boa parte das doenças, em especial as doenças crônicas, possui início discreto, em hábitos cotidianos comuns.


Muitos processos de esgotamento se iniciam com aumentos progressivos na carga de trabalho. Eliminação de um e depois outro turno de descanso ou lazer. E assim, a pessoa chega ao esgotamento.

E existe o momento do esgotamento. Porque outro erro além de desprezar o início desse processo é se considerar acima dele. Acima dos limites comuns, acima de necessidades tão genuínas como o cuidado com o corpo e a mente.


A palavra nos avisa: “Aquele que está de pé, cuide-se para que não caia.” 1 Cor 10:12


Instalado o problema, a cura sempre é mais difícil. Abordaremos questões da saúde física, mas a primeira a ser abordada será a saúde mental. Ela tem sido a mais atacada nos líderes. E não foi diferente no exemplo de Elias...


Ele experimentou um enorme nível de pressão física, intelectual e emocional, numa batalha espiritual tão agressiva que o deixou completamente esgotado. Essa situação é bem diagnosticada hoje em dia. E, com a graça de Deus, para que possamos reconhecer e tratar possui um nome: é a Síndrome de Burnout. A Síndrome de Burnout (“consumir-se em chamas”) é um tipo especial de stress ocupacional que se caracteriza por profundo sentimento de frustração e exaustão em relação ao trabalho desempenhado, sentimento que aos poucos pode se estender a todas as áreas da vida de uma pessoa. (REINHOLD, 2007, p. 64)

Hoje sobre um ponto de vista da psicologia e da medicina é possível perceber que Elias estava completamente esgotado. Também na liderança ou mesmo no campo missionário, nossos irmãos têm sofrido imensa pressão e esgotamento. E assim eles sofrem, de maneira silenciosa. Amparados ou oprimidos por frases triunfalistas de que eles devem vencer a qualquer custo. Ou por vezes sofrendo com distorções da palavra para motivos de ainda maior pressão e opressão. Jesus nos ensinou de forma diferente. Para ele, os doentes precisam de médicos. E eles precisam ser cuidados e amparados por todos nós. E é por esse motivo que sob esses sinais de esgotamento mental, devemos buscar imediato apoio médico e psicológico, entendendo que há tratamento e auxílio específico para essas questões.


A grande pergunta é, hoje em dia, com os conhecimentos existentes, como podemos aprender com Elias? O que fala a palavra de Deus sobre maneiras de nos precavermos, já que a Bíblia diz muitos sobre temas de prevenção? Podemos mesmo evitar que venhamos a desfalecer? Podemos evitar a chance de chegar esse ponto? Para responder a essas questões observamos os cuidados de saúde e prevenção sob três aspectos: 1- Devemos nos cuidar, pois somos templos do Espírito Santo.


Devemos preservar nosso corpo e mente. Entendendo que o espírito está pronto, mas a carne é fraca. Nesse caso, não no sentido do pecado, mas no entendimento de que nossa carne e nosso corpo possuem limites.


Como falado anteriormente, observar esses limites e respeitá-los é um sinal de zelo e responsabilidade. De igual forma devemos estar atentos a esse aspecto naqueles que nos rodeiam. Alguns necessitam de cuidados ou questões especiais que não devem ser tratados sob a ótica de fraqueza ou algo supérfluo. Podemos suportar maior tempo sem alimentação entre as atividades, mas talvez nosso irmão não. Isso também vale para diferentes necessidades de pausas para descanso. Todas essas atividades são também louvor a Deus.


“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.” 1 Coríntios 10:31 2- Devemos entender que o nosso próprio cuidado significa também cuidado com nossa família.


Estando saudáveis podemos abençoar ainda mais nossos entes queridos. Existe uma frase nos hospitais que diz: “Quando um membro da família adoece, toda família adoece.”


Cuidados preventivos de saúde é também uma forma de demonstrar amor por nossa família. Muitos pais se sentem incentivados a iniciar uma atividade física pelo momento do nascimento dos filhos, por exemplo.


Além disso, podemos ser incentivadores de práticas de saúde em nosso lar e no meio em que convivemos. Cuidados de saúde com nossa família são também uma forma de liderança responsável sobre a benção que Deus confiou em nossas mãos. 3- Devemos fechar todas as brechas.


“Sede, pois, prudentes como as serpentes, mas simples como as pombas.” Mateus 10:16b


O inimigo trabalha todo o tempo. E ele precisa apenas de uma pequena brecha para lançar seus dardos. A falta de cuidado com nossa saúde é uma brecha.

Em 2013 eu e minha esposa participarmos de uma caravana missionária ao Haiti. A pobreza e a dificuldade do lugar eram extremamente impactantes. O trabalho era difícil do ponto de vista físico emocional e espiritual, com grande pressão e opressão no lugar. Estávamos sempre em grupos, possuíamos uma dupla de oração. Mesmo assim, percebíamos os ataques. Uma dentista foi abatida por forte depressão no lugar. Não conseguiu sair para trabalhar naquele dia. O fato de ela estar doente durante aquela manhã paralisou todo o grupo. Ela demandou mais atenção, alguém que precisasse estar com ela naquela manhã dando apoio enquanto ela estava em casa. Um pastor que também é psicólogo ofereceu cobertura juntamente com outra missionária. E não houve atendimento odontológico naquele dia. Após orações e conversa com o psicólogo, no dia seguinte, ela pode reestabelecer o trabalho.


É claro que havia um grande contexto de batalha espiritual, mas a enfermidade de uma pessoa gerou a paralisação de outras duas e, além disso, a paralisação de um trabalho.


Devemos ser vigilantes e entender que esse cuidado é de nossa responsabilidade e também é um assunto espiritual. Uma brecha para um dardo pode ser, por exemplo, nosso descuido com nossos medicamentos, nosso esquecimento quase proposital com as consultas de revisão ou ainda o mau hábito de ignorar os sintomas de nosso corpo.


Alimentação e Atividades Físicas


Agora que vimos a importância de nossa saúde física e mental em diferentes aspectos, devemos entender como podemos nos prevenir e como devemos atuar nessas áreas. “Elias olhou e viu junto à sua cabeça um pão cozido debaixo da cinza, e um vaso de água. Comeu, bebeu e tornou a dormir. Veio o anjo do Senhor uma segunda vez, tocou-o e disse: Levanta-te e come, porque tens um longo caminho a percorrer.” 1 Reis 19:6,7

A alimentação é tratada na Bíblia como algo de enorme importância. A Bíblia também nos traz um efeito progressivo da alimentação, tanto boas quanto ruins. Apesar disso, no dia a dia somos levados por hábitos errados.


A palavra de Deus claramente mostra os benefícios de uma alimentação correta. Vemos esse exemplo na história de Daniel e sua decisão de não se contaminar. "Peço-lhe que faça uma experiência com os seus servos durante dez dias: Não nos dê nada além de vegetais para comer e água para beber. ... Passados os dez dias eles pareciam mais saudáveis e mais fortes do que todos os jovens que comiam a comida da mesa do rei. Daniel 1:12 ,15.


Mesmo assim entendemos as refeições como apenas uma mera refeição.


O trabalho missionário pode levar a jornada de horas sem alimentação. E assim deixamos esse momento mais para frente... Prometemos que faremos uma refeição melhor na próxima etapa! Amanhã comeremos de modo mais saudável! Elias por exemplo seguiu sem qualquer alimento na sua jornada e padeceu. O mais interessante é que, também aqui, não percebemos que os pequenos tropeços diários geram grandes erros quando falamos de alimentação. Mas hábitos são difíceis de serem mudados.


Pesquisas mostram que são necessários cerca de 21 dias para modificar um hábito. Muitas vezes, apesar de tentarmos mudar o hábito da alimentação, situações culturais a nossa volta dificultam que venhamos a seguir uma alimentação correta e saudável. Isso vale para nós, para nossos companheiros e filhos, etc. A alimentação precisa ser entendida como alvo de toda a família.

Algumas regras valiosas sobre alimentação e prevenção já extremamente estudadas precisam ser relembradas.


Vamos a algumas delas: 1- Pode basicamente resumir a lógica da alimentação e de sua relação com ganho de peso ao lembrarmos de uma conta bancária. Ingestão excessiva em quantidade ou numa qualidade extremamente calórica gera um aumento dessa conta. Na maioria das vezes não adicionamos nenhum gasto (atividades físicas). Dessa forma nossa conta, nesse caso nosso peso, só aumenta.

2- A atividade física é fundamental. Embora muito negligenciada. Um grande e famoso estudo científico na cidade de Framingham, que avalia mais de 5000 pacientes há impressionantes 60 anos, conseguiu detectar a importância da atividade física. A falta de atividade física possui efeitos devastadores. Comparado com o tabagismo, a falta de atividade física foi até duas vezes pior do que eu fumo na avaliação de longo prazo. Existem ainda outros benefícios da atividade física. Ela melhora a qualidade do sono, melhora a atividade intestinal e também possui efeito na produção de endorfina, benéfica para redução do estresse. Ela também possui a capacidade de melhorar a imunidade e acelerar o metabolismo permitindo a maior redução e controle do peso. Esses efeitos se prolongam por até dias após o exercício.

3- Entendemos que atividade física deve ser definida como ao menos 3 vezes na semana, por 50 minutos. Pode ser uma caminhada, mas precisa ser num ritmo intenso. Não é aconselhável conversar durante a atividade ou fazer uma atividade num ritmo muito reduzido, como levar o filho ou sobrinho na escola. Isso não gera o que é chamado de faixa aeróbica para que seu corpo e seu coração realmente se acelerem e gerem um benefício com o exercício.bNão desista mesmo que sua atividade não pareça muito elaborada. Um erro comum é buscar atividades complexas e dessa forma não realizar atividade alguma. 4- Depois de incluída a atividade física, vale lembrar que devemos respeitar nossos limites e evitar invencionices ou modismos. Algumas pessoas utilizam muitos agasalhos com o objetivo de acelerar a perda em curto espaço de tempo. Infelizmente isso gera perda de peso acontece principalmente por desidratação. Não é o que queremos. Devemos ter um dia a dia saudável e assim veremos resultados reais e duradouros. Nada de loucuras! 5- Também na área do metabolismo, uma regra importante é: programe-se para fazer seis refeições por dia! Isso vai exigir um bocado do seu planejamento. E sempre é assim no início. Uma boa ideia é gerar um cardápio pronto. As compras no dia a dia ficam direcionadas. Você gasta menos e escolhe com mais calma o que deseja comer.


6- Atenção na hora das compras. Evite ter em casa doces e alimentos gordurosos. Parafraseando, devemos fugir da aparência do mal! Muitos pais compram esses alimentos para os filhos e depois terminam por consumí-los. Acredite, eles não são saudáveis nem para você nem para eles. 7- Falamos anteriormente em seis refeições. Essas refeições podem ser dividas entre: café, colação, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. Não pule refeições. Não subtraia o jantar. Várias refeições vão acelerar o seu metabolismo. Com várias refeições e um metabolismo acelerado o alimento é entendido pelo cérebro como estando em uma oferta plena. O corpo não armazena e fabrica menos gordura. Quando pulamos refeições ou seguimos um longo período sem nos alimentarmos, o corpo entende a escassez e, a próxima refeição, será armazenada sob a forma de gordura. 8- Evite ao máximo os alimentos industrializados. Mesmo os aparentemente naturais.

9- Alimente seu corpo e não suas emoções! Evite se permitir comer mal por estar triste ou ansioso ou nervoso ou com problemas. O melhor presente para você é seguir saudável. E tenha atenção com as inúmeras beliscadas em doces ou biscoitos ao longo do dia.

10- Beber, disciplinadamente, cerca de 1 litro e meio de água por dia. Faz parte das ações de saúde! 11- Evite fugir de uma dieta saudável mesmo em dias especiais. O consumo de alimentos gordurosos ou muito doces desperta ainda mais necessidade e o desejo por esses alimentos.



Avaliação e exames preventivos Estando em dia com nossa alimentação e seguindo uma atividade física regular, é hora da prevenção. A avaliação preventiva deve estar presente na mochila de um missionário e no cronograma de um pastor tanto quanto todos os outros itens que ele entende como essenciais na sua vida e dia a dia. Esses exames preventivos podem ser divididos em dois momentos:


- os exames realizados no momento anterior ao trabalho

- os exames sequenciais e rotineiros (sempre levando em conta o trabalho executado ou o campo de atuação) Independente da percepção de grande ou pequena exigência física, esse trabalho possui certamente grande exigência mental e emocional. Os exames preventivos garantem controle de várias situações para que a pessoa possa trabalhar e produzir de maneira saudável, contínua e confortável na obra de Deus. Também garante que ela posso ter uma melhor performance e por um maior tempo sempre cuidando de seu corpo e mente de forma adequada.

Exames no momento anterior ao trabalho


Esses exames devem ser acompanhados por um profissional médico que solicitará uma avaliação objetiva de exames. De acordo com a faixa etária do paciente, outros exames podem ser incluídos. Importante perceber que o mais importante não é necessariamente o exame, mas sim o contato com o médico que, através da entrevista, pode detectar quais os pontos vulneráveis que precisam ser cobertos. Nesse momento também será feita a reavaliação de doenças que o líder pode já vir tratando e também o planejamento de como será o cuidado sobre esse ponto no dia a dia. Nesse momento também planejamos a necessidade de medicamentos ou ações de saúde que previnam doenças comuns em determinados campos de trabalho específicos.

Exames sequenciais e rotineiros


Para aqueles que já estão trabalhando ou já estão no campo, segue-se a valiosa reavaliação periódica. Através dela, aparamos pequenas arestas ou ainda podemos diagnosticar problemas novos em estágio bem inicial. Todas as etapas devem envolver avaliação psicológica sempre que necessário ou mesmo dentro de um planejamento previamente montado.


Bem, estamos agora munidos do entendimento do motivo pelo qual devemos cuidar de nossa saúde e como isso pode ser também um assunto espiritual. Temos agora também ferramentas para investirmos nessa área com cuidados na alimentação e atividades físicas regulares. Finalmente, compreendemos a importante de uma avaliação médica regular como investimento em nós mesmos e em nosso trabalho.


Terminamos? Ainda não.


Vamos colocar desde já o que conversamos em prática?


Convido o leitor para o seguinte exercício:


Em uma folha de papel, vamos fazer uma avaliação crítica de nossa saúde e nossos cuidados preventivos. Responda conosco.​

1) Tenho sido zeloso com minha saúde, entendendo que cuidar de mim mesmo é uma forma de amar meus familiares e meu ministério?

2) Quais os pontos em que possuo mais dificuldade na minha saúde?

3) Na minha alimentação, onde mais tenho falhado na tentativa de seguir um estilo saudável?

4) Como poderia fazer para iniciar uma atividade física? Se faço, tenho me aplicado?

5) Qual a última vez que realizei exames de rotina ou fui a uma consulta médica?


Pense a respeito. Seja sincero com sua avaliação. Esse não é um questionário com sistema de pontos. Se você se percebeu em falta com qualquer uma das questões, esteja atento. É tempo de mudar. É tempo de aproveitar as chances que Deus nos dá hoje.

“Porque dEle e por Ele, e para Ele, são TODAS as coisas; glória, pois, a Ele eternamente. Amém.” Romanos 11:36


Referências:

1- ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração sobre o ambiente humano. Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente Humano, 1948

2- CODO, W. O que é burnout? In: CODO, W. (Coord.). Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Vozes, 2006. p. 237-254

3- REINHOLD, H. H. O Burnout. In: LIPP, M. (Org.). O stress do professor. 5. ed. Campinas: Papirus, 2007. Cap. 5, p.63-80. VASQUES-MENEZES, I.;



Autor: Dr. Onofre Barros. Médico especialista em Nefrologia e missionário voluntário no Cuidado Integral do Missionário na Junta de Missões Nacionais da CBB.

Procurar por Tags
Em Destaque
Leitura Recomendada

Siga-nos:

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

Outros sites de Missões Nacionais

JUNTA DE MISSÕES NACIONAIS DA CBB
CNPJ: 33.574.617/0001-70
IE: 85.636.634
R. José Higino, 416 - Prédio 18 
Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20270-972
Cx Postal: 13363
CONTAS PARA DEPÓSITO:
Bradesco - AG 226-7 / CC 87500-7
Banco do Brasil - AG 093-0 / CC 20275-4
Santander - AG 4362 / CC 130001420; 
Caixa E.Federal - AG 1411-0 / CC 138-6 
Itaú - AG 0281 / CC 66341-9

© JUNTA DE MISSÕES NACIONAIS DA CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS