O Pastor

June 19, 2018

 

 

 

Acho que eu nunca vi uma profissão tão esquisita em toda a minha vida. Quem escolhe essa carreira tem que lidar com gente, com texto, com administração, ética, moral, ensino, liderança, aconselhamento, grego e hebraico. E olha que não ganha tanto assim.

 

Se alguém está com problemas no casamento, conversa com ele. Dificuldades na criação dos filhos, fala com ele. Um casal querendo começar um relacionamento, é com ele. Uma família enlutada, uma pessoa com vício, um jovem com dúvidas, um líder desmotivado, procura por ele. E uma pessoa que recebeu uma bênção? Compartilha com ele também. Uma família que venceu uma doença, agradece com ele. Passou num concurso, alegra-se com ele.

 

É tão engraçada a figura dele! Parece sempre forte, pronto, com a resposta certa para a nossa necessidade. As crianças gostam dele, os jovens o admiram, os adultos veem nele um amigo e os idosos sabem que podem contar com ele. Mas às vezes nossas expectativas são muito altas. Afinal, ele também é gente. Ele é fraco, limitado. Fica perdido, precisa de ajuda. Fica cansado, precisa de descanso. Erra, precisa de compreensão. Precisa até de um conselho de vez em quando, e de oração, sempre.

 

Muitas vezes, muitas vezes, mesmo, ele não cuida de si para cuidar dos outros. Então sua saúde fica debilitada, enfraquecida, ou até correndo perigo. Aí é bom alguém lembrá-lo de que é apenas um ser humano dependente do Pai. É que às vezes ele se esquece. Deus está fazendo uma grande obra e esse homem é um instrumento muito importante, que precisa ser amolado e ajustado, mas também deve ser bem guardado, para que não se perca ou enferruje.

 

Mas, pensando bem, talvez não sejam eles que escolham essa profissão, mas Deus que os vocaciona. Claro que Ele não vai forçar ninguém a ter a bênção de obedecer ao chamado, mas o nosso Pai, cheio de compaixão pelas ovelhas perdidas e de misericórdia por esses homens tão falhos, designa pastores. Sim, os pastores! Homens que oram, pregam a Palavra e multiplicam discípulos.

 

Bendito aquele que ouve a voz de Deus, e benditos os pastoreados pelo vocacionado obediente! Que a gratidão, a humildade, o serviço e o amor unam cada vez mais esses líderes e seus rebanhos, para abençoar e cuidar uns dos outros, para ser relevante em suas comunidades, para anunciar o Reino de Deus, para a glória de Cristo, nosso Bom Pastor!

 

Suzane Moutta, Filha de Missionário (FM)

Compartilhe
Please reload

Procurar por Tags
Please reload

Em Destaque
Please reload

Leitura Recomendada

Siga-nos:

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

Outros sites de Missões Nacionais

JUNTA DE MISSÕES NACIONAIS DA CBB
CNPJ: 33.574.617/0001-70
IE: 85.636.634
R. José Higino, 416 - Prédio 18 
Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20270-972
Cx Postal: 13363
CONTAS PARA DEPÓSITO:
Bradesco - AG 226-7 / CC 87500-7
Banco do Brasil - AG 093-0 / CC 20275-4
Santander - AG 4362 / CC 130001420; 
Caixa E.Federal - AG 1411-0 / CC 138-6 
Itaú - AG 0281 / CC 66341-9

© JUNTA DE MISSÕES NACIONAIS DA CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS