Aposentadoria: A vida continua... igual?

 

Conhecer-se, fazer planos, reestruturar as relações, informar-se sobre as mudanças econômicas e buscar novos projetos, chaves para enfrentar a mudança.

 

A psicóloga especialista em gerontologia, Maria Dolores Ortiz, afirma que, normalmente, as pessoas vivem uma espécie de lua de mel quando se aposentam. Mas adverte que "é preciso saber gerenciar bem a fase da aposentadoria desde o início". Do contrário, ela pode ser motivo inclusive de depressão, quando a pessoa não encontra um sentido na vida que vá além da profissão que desempenhou. Muitas pessoas se sentem inúteis.

 

Por isso, esta transição precisa ser acompanhada e, sobretudo, planificada, pois se passa de uma rotina vital de décadas a outra que, levando em consideração a expectativa de vida atual, pode durar 20, 30 anos ou mais. Para uma pessoa que encerra sua vida profissional, é importante encontrar uma maneira de preencher todas essas horas do dia nas quais ela agora não desenvolve uma atividade regrada. "Não se pode viver com a ideia de que são férias perpétuas – comenta a psicóloga Maria Dolores Ortiz. Isso esgota qualquer um."

 

Algumas dicas para lidar com a mudança:

 

Conhecer-se. É preciso saber que não somos aquilo a que nos dedicamos. Somos valiosos, não pela profissão que desempenhamos.

 

Planejar. Depois dos dias de "que gostoso ficar sem fazer nada", é preciso voltar a estabelecer uma rotina. Não é possível viver eternamente de férias. É importante não ficar em casa o tempo todo e realizar tanto atividades físicas como intelectuais.

 

Reestruturar os relacionamentos. Deixa-se de compartilhar o tempo com os colegas de trabalho, mas a família e o cônjuge recuperam com a pessoa o tempo perdido. É uma nova etapa de ajustamento matrimonial. A compreensão é fundamental neste momento, no qual, mais do que nunca, a pessoa precisa se esforçar por colocar-se no lugar do outro. Também é uma etapa excelente para compartilhar e curtir os netos.

Informar-se sobre as mudanças econômicas. Aposentar-se supõe a perda de poder aquisitivo e este é outro fator a ser levado em consideração, já que pode se tornar fonte de conflitos. Por isso, é importante ser conscientes das condições econômicas que estão por vir. Da mesma forma, existem importantes descontos e facilidades para pessoas aposentadas, sobre os quais é preciso informar-se.

 

Novos projetos. Deixar de trabalhar não é deixar de viver. A aposentadoria é uma época para novas amizades, antigos hobbies e sonhos pendentes. O voluntariado é uma boa opção para manter-se ativos e oferecer toda a experiência acumulada ao longo da vida.

 

 

Compartilhe
Please reload

Procurar por Tags
Please reload

Em Destaque
Please reload

Leitura Recomendada

Siga-nos:

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

Outros sites de Missões Nacionais

JUNTA DE MISSÕES NACIONAIS DA CBB
CNPJ: 33.574.617/0001-70
IE: 85.636.634
R. José Higino, 416 - Prédio 18 
Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20270-972
Cx Postal: 13363
CONTAS PARA DEPÓSITO:
Bradesco - AG 226-7 / CC 87500-7
Banco do Brasil - AG 093-0 / CC 20275-4
Santander - AG 4362 / CC 130001420; 
Caixa E.Federal - AG 1411-0 / CC 138-6 
Itaú - AG 0281 / CC 66341-9

© JUNTA DE MISSÕES NACIONAIS DA CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS