Buscar
  • Jim Newheiser

A Armadilha da Ternura


“Aconteceu novamente. Outro pastor caiu. Foi um homem de boa doutrina com mais de vinte anos de ministérios fiel, um homem cuja piedade e fidelidade doutrinaria eram amplamente reconhecidas. Como isto aconteceu? Onde ele errou? E como você e eu podemos evitar os mesmos passos desastrosos?"


Na verdade, esse pastor não cometeu adultério. Ele era e é feliz em seu casamento. Ele não estava à procura de excitação nem de satisfação sexual. Ele simplesmente caiu na “Armadilha da Ternura” e ficou envolvido emocionalmente com uma das mulheres que aconselhava.


O pastor se tornou o líder espiritual que o marido da mulher nunca foi. O pastor ganhou um senso de satisfação pelo seu sucesso por conduzi-la no encorajamento e mais perto do Senhor. Enquanto progride, ambos começam ter pensamentos que deveriam alertá-los. O pastor percebe-se gostar de ter a aconselhada dependente de seu conselho e apoio. Aguardam ansiosamente pelos encontros de aconselhamento. Não há intensão de relacionamento romântico, mas existe certo envolvimento. Assim, o pecado que o levou a ruína é um ponto culminante de um processo (Tg.1.14-15). Ao fazê-lo, ultrapassou alguns limites e não é mais irrepreensível.

Como evitar a armadilha da ternura.


1. Não confie em você mesmo. Lembre-se mulheres são propensas a se apaixonar por homens carinhosos, sensíveis e bondosos.


2. Estabeleça regras rigorosas - e as cumpra. Explique as regras á aconselhada e evite lugar isolados e contato físico.


3. Respeite o relacionamento conjugal de sua aconselhada. Se a mulher tem problemas em seu casamento, o marido também deveria estar presente para o aconselhamento.


4. Envolva outras mulheres no aconselhamento de mulheres. Tito 2.3-5 afirma que as mulheres mais velhas são qualificadas de maneira singular para ajudar mulheres mais jovens a serem esposas e mães piedosas.


5. Coloque-se sob prestação de contas continua. Mantenha sua esposa e seus companheiros de liderança a par das suas sessões de aconselhamento e do assunto geral tratado.


Para aqueles que caíram: A maioria dos homens permanece em pecado até ser pego. Em geral quando confrontado sobre a situação comprometedora, inicialmente há uma negação ou uma minimização. O melhor a fazer é confessar, aceitar as consequências, e submeter a disciplina. Encontre conforto no perdão de Deus (Sl 51). Deus o usará de outras maneiras no futuro.


Para aqueles que não caíram: Qual é o seu alvo no ministério? Que seja como o de Paulo: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. 2 Timóteo 4:7”



44 visualizações

Outros sites de Missões Nacionais

JUNTA DE MISSÕES NACIONAIS DA CBB
CNPJ: 33.574.617/0001-70
IE: 85.636.634
R. José Higino, 416 - Prédio 18 
Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20270-972
Cx Postal: 13363
CONTAS PARA DEPÓSITO:
Bradesco - AG 226-7 / CC 87500-7
Banco do Brasil - AG 093-0 / CC 20275-4
Santander - AG 4362 / CC 130001420; 
Caixa E.Federal - AG 1411-0 / CC 138-6 
Itaú - AG 0281 / CC 66341-9

© JUNTA DE MISSÕES NACIONAIS DA CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS